quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Ciclo de Saraus Borboletras 2018

Olá, internauta!

Quem me conhece já sabe que tenho o costume de fazer saraus temáticos e neste início de primavera reeditarei o Sarau Borboletras. Neste momento vamos falar de um inseto simpaticíssimo: a borboleta. 

Venha participar e discutir um assunto tão pouco comentado nos dias atuais.

Programação sujeita à alterações. Compareça e divulgue-a nas sua redes de contato.



Carlos


Mês de Setembro de 2018.

Biblioteca Patativa do Assaré do CEU Casa Blanca
Data: 29/09/18, das 14h às 16 h.
Endereço; Rua João Damasceno, 85 - Vila das Belezas
Mais informações: (11) 5519-5244 (Biblioteca).


Mês de Outubro de 2018.

Biblioteca Jornalista Roberto Marinho do CEU Butantã.
Data: 02/10/18, das 19 h às 21 h.
Endereço: Avenida Engenheiro Heitor Antonio Eiras Garcia, 1700 - Jardim Esmeralda - São Paulo.
Linhas de ônibus: 715-M Jardim Maria Luiza, 775A Jardim Adalgisa 809 T Jardim Raposo Tavares.


Biblioteca Camila Cerqueira César
Data: 21/10/18, das 10 h às 12 h.
Endereço: Rua Waldemar Sanches, 41 - Jardim Bonfiglioli - São Paulo.Entre as ruas Ministro Adauto Cardoso e Coronel Ferreira Leal.
Referência: Supermercado Dia da Avenida Heitor Eiras Garcia.
Linhas de ônibus: 715-M Jardim Maria Luiza, 775A Jardim Adalgisa.





 

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Resenha do livro Tereza Batista Cansada de Guerra, de Jorge Amado.

Olá, amigos (as)!

Gratidão pela visita e boa leitura!

Carlos.

 
Tereza era uma garota órfã que estava sendo criada por um casal de tios maternos. Deles ela ate recebia uma educação livre de preconceitos tanto que brincava de subir em árvores feito um garoto. Contudo, a medida que avançava  pela puberdade a menina começou a  ganhar uma assombrosa formosura.

Contudo, Tereza se mantinha alheia ao trabalho da Natureza. A ponto de nem desconfiar que os seus predicados haviam atiçado os hormônios tanto do seu tio materno quanto de um coronel. Tampouco imaginava que o primeiro premeditava em surdina dar fim na esposa e ficar com ela. Ainda, que a sua tia que já não a suportava mais a sua presença.

A tia de Tereza também possuía seus planos para recuperar os investimentos invertidos na sobrinha ao longo de vários anos. Neles o coronel seria a peça chave.
 

Sem ter sido consultada Tereza foi vendida por sua para o coronel. Foi uma transação tal qual se faz quando um produtor rural vende para algum comprador um dos seus animais de criação doméstico. É lógico que  Tereza reagiu escapulindo para o mato, porém ela foi recapturada em seguida.

Justiniano, ironicamente o nome do infeliz era um compulsivo estuprador de meninas novas. E suas atitudes demonstravam que ele não fazia questão de esconder isto, pois existia até uma rede de fornecimento desta “mercadoria“ para ele.

Tereza também foi estuprada após ter sido torturada sistematicamente. A visão sexual do coronel de vida é bestial e antiquada, nela o sexo como um ato em que o homem pode utilizar da violência para extrair todo o prazer da relação para si. Ainda, vê a mulher é comparada apenas a um acessório do seu dono.

Durante anos Tereza foi sistematicamente abusada pelo seu "dono". E este não contente, se casa com Dóris, uma adolescente loira. Ao que tudo indica, Justiano buscava uma forma de não só suavizar a sua péssima reputação perante à sociedade mas também de lustrar o seu perfil de bom cristão, cumpridor dos seus deveres religiosos. Mas Dóris morre no parto da filha casal.
 

Esta parte inicial do livro relembrou-me bastante um trecho do livro Casa Grande e Senzala de Gilberto Freire. Mais especificamente a passagem em que o sociólogo descreve como nasceu no período colonial a super sexualização do corpo negro feminino que persiste, até hoje em nossa sociedade. 

Ainda durante o cativeiro, Tereza manteve um caso  com um estudante mimado. Com a ajuda dele que Tereza superou seus traumas sexuais.

Mas a frente do texto, livre e longe das "garras do carrasco" Tereza mantém seu jeito livre de ser que a acompanhou desde a infância. Apesar dos dissabores, ela vive rodeada de amigos e admiradores. Sendo que muitos deles sonham em tê-la como esposa. 


Para sobreviver Tereza exerceu de várias atividades, quando necessário a de prostituta. Talvez a mais célebre foi a função de técnica de enfermagem, quando ela lutou contra a Peste Negra. Tereza com a ajuda dos Orixás, especialmente Obabulaê, saiu vencedora da disputa contra a Morte.

Tendo em vista que Omulu nas religiões afrobrasileiras representa o Deus que lança a doença mas também é o que cura, Tereza ganhou a alcunha de Tereza de Omulu.

Aliás, no meu caso pessoal, não havia como eu não amar este capítulo, pois também sou afilhado de Omulu e não me lembrar do ex-tumor estomocal. Em relação a este apadrinhamento, tomei conhecimento com uma mãe de santo que trabalhava na biblioteca da minha faculdade da graduação. Desde então, tenho um grande carinho e respeito por este meu protetor.
 

O grande amor desta mulher foi o pescador Gereba. Um transportador de carga marítimo. Ele é um cara de princípio tanto que não aceitou, imediatamente,  se unir com Tereza por ser casado não acha justo se separar da esposa doente.

O autor demonstrou a leveza de espírito na criação dos nomes auspiciosos das mulheres da vida desta e de outras obras lidas até agora. Este comportamento também apareceu quando ele descreveu o poder do “viagra“ brasileiro": "quanto ao Cacete Rijo é o que se sabe: tesão fantástico. Segundo o próprio Madruga, no discurso de apresentação do meritório produto à clientela, atento auditório das feiras e das praças públicas, um velho centenário, depois de tomar a dose prescrita, levantou-se do leito de morte, descabaçou uma donzela, deu quatro pitocadas em seguida e na quinta lhe fez um par de filhos. Morreu feliz, de priaprismo."
 

Suspeito que nesta obra também houve aquela velha máxima de vida imita a arte ou vice-versa. Tendo em vista que hoje os nomes de operações de combate a corrupção e CPIs têm nomes um tanto controvertidos e espirituosos fazem parte do imaginário brasileiro. A do livro é excepcional: Retorno Alegre ao Trabalho. Ela foi deflagrada para a força policial obrigar a força as prostitutas grevistas que protestavam contra a prisão de outras colegas de trabalho e a remoção da área de baixo meretrício de Salvador.

Caro amigo (a) leitor (a), Tereza Batista é mais uma das personagens emocionantes e inesquecíveis da literatura brasileira.

AMADO, JORGE. Tereza Batista Cansada de Guerra. Record. 32 edição (23 edição Record), Rio de Janeiro. 2001.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Poema Junino

Olá, amigo(a), internauta!


A Copa ainda não acabou e não será desta vez que seremos hexacampeões.  Agora nos resta retomar a Vida em todos os sentidos e  com os seus desafios a perder de vista.

Aliás, já comentei em uma postagem antiga sobre a Festa Junina/Julina familiar que desenvolvo há quase duas décadas no Interior Paulista. Para esta edição fiz um poema especialmente para homenageá-la.

Uma festa e tanto diga-se de passagem. 

Boa leitura e deixem os seus comentários abaixo para que todos possam lê-los.



Poema Junino


                      Carlos Pinheiro


Decorei o meu quintal
Pra dançar com meu benzinho
Quadrilha, valsa nupcial
E xaxado agarradinho.

As chamas desta fogueira
Que aquecem meu coração
Fitam de forma faceira
Este braseiro no chão.

Do primeiro raio de luar
Que desceu do firmamento
Transformei o sem vacilar
Num anel de casamento.

Não parem viola e sanfona
Animem o povaréu!
Pedem a Santa Madona
E o Bom Menino no céu.

Vou rezar pra Padim Ciço
Não deixar que esta paixão
Venha um dia perder o viço
Como a seca do sertão

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Será na Sibéria

Olá, Amigo (a)!


Este é o meu poema dedicado à Copa da Rússia de 2018. Boa Copa!


  
Será na Sibéria


                        Carlos Pinheiro


Depois de Itaquera
Vamos novamente
Juntar a galera
E bola pra frente


O pódio e a taça
Curiosos pra ver
Toda a sua graça
Na arte de vencer


A torcida em pé
Sacode a bandeira
Durante o balé
Da nossa capoeira


Esperança e dor
Fazem uma canção
De glória e louvor
Pra guiar sua missão


Muita sorte, mano, 
Pois a coisa é séria
O Mundial deste ano
Será na Sibéria

terça-feira, 5 de junho de 2018

Alguns preparativos para o III Sarau Arena Russa na Biblioteca Jornalista Roberto Marinho - 12 / 06 / 18, às 19h.

 Olá, Amigo (a)!

Pois bem, a abertura da Copa da Rússia será no próximo dia 14. Não sei quanto a você, mas eu estou degustando cada segundo de ansiedade que este evento tem me provocado. Talvez eu não possa ir à Rússia neste momento, porém estou amando manifestá-la de forma poética com as minhas próprias mãos.

Ao invés de fazer um esquenta num bar, reinventei a ideia para centros culturais. Daí surgiu a ideia do Sarau Arena Russa, ao invés de falarmos no Dia dos Namorados de Love Stories, vamos falar de uma paixão que muitas pessoas, como eu, temos pelo Futebol.

Outra coisa que aconteceu de forma inesperada foi a minha influência na celebração da Copa da Rússia em outros locais por meio de outra paixão minha que é a fotografia. Tudo começou quando visitei no mês passado por duas vezes  o Restaurante da Rede Graal de São Carlos e bati fotos como o meu aparelho de celular da decoração do estabelecimento.

Decoração da Copa  2018 - Rede Graal de São Carlos, SP - Maio / 2018.

Decoração da Copa de 2018 - Rede Graal São Carlos, SP - Maio / 2018.
Decoração da Copa de 2018 - Rede Graal São Carlos, SP - Maio / 2018.

Decoração da Copa  2018 - Rede Graal de São Carlos, SP - Maio / 2018.
Decoração da Copa de 2018 - Rede Graal São Carlos, SP - Maio / 2018.
Decoração da Copa de 2018 - Rede Graal São Carlos, SP - Maio / 2018.
Decoração da Copa de 2018 - Rede Graal São Carlos, SP - Maio / 2018.
Decoração da Copa de 2018 - Rede Graal São Carlos, SP. Maio / 2018. 


Achei esta exposição muito bonita e didática, pois como você já deve ter reparado há uma indicação clara dos grupos que se enfrentaram a o longo da Copa.
Agora que me rendi ao Whatsapp ou vice-versa repassei estas fotos acima para o famoso grupo família. Aí uma prima materna, a Joana que mora em Piracicaba logo me respondeu não só me elogiando, mas também me dizendo que eu havia lhe dado uma grande ideia.

Veja como os educadores da EE Alcides Zagatto em Piracicaba reinventaram a decoração acima:


EE Alcides Zagatto, Piracicaba (SP) - Fotos batidas por minha prima Joana - Maio / 2018.

EE Alcides Zagatto, Piracicaba (SP) - Fotos batidas por minha prima Joana - Maio / 2018.
Para o III Sarau Arena Russa, dia 12 de outubro de 2018, na Biblioteca Jornalista Roberto Marinho do CEU Butantã, preparamos a nossa decoração tendo como base ambas as acima citadas com um leve toque de Festa Junina.


Agora veja como está  a nossa Arena Russa na Biblioteca Jornalista Roberto Marinho.  Eu mais os funcionários da Gestão e da Biblioteca,  da DRE Butantã nos esforçamos para fazer um ambiente tanto educativo quanto agradável para que os usuários possam usufruir da biblioteca neste período da Copa.


Vista externa da Biblioteca Jornalista Roberto Marinho - CEU Butantã - Maio / 2018.

Vista da decoração interna da Biblioteca Jornalista Roberto Marinho - CEU Butantã - Maio / 2018.

Vista da decoração interna da Biblioteca Jornalista Roberto Marinho - CEU Butantã - Maio / 2018.

Acervo de Esportes da Biblioteca Jornalista Roberto Marinho - CEU Butantã - Maio / 2018.
Acervo de Literatura Russa da Biblioteca Jornalista Roberto Marinho - CEU Butantã - Maio -2018.
Vista da decoração interna da Biblioteca Jornalista Roberto Marinho. Maio / 2018.
Vista da decoração interna da Biblioteca Jornalista Roberto Marinho - CEU Butantâ - Maio / 2018.

Vista da decoração interna da Biblioteca Jornalista Roberto Marinho - CEU Butantã - Maio  /  2018.

Gratidão e venha saborear uma pipoca enquanto participa do III Sarau Arena Russa. 

Até  daqui  a pouco  com mais informações  para você!



Carlos.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

III SARAU ARENA RUSSA NA BIBLIOTECA JORNALISTA ROBERTO MARINHO - CEU BUTANTÃ

Daqui a pouco o mundo todo vai ficar de olho nos gramados russos. Haja, coração!!!





Mas, antes a bola vai rolar no III Sarau Arena Russa regado com muitos poemas, músicas, história da Rússia e paixão pelo futebol.

Local: Biblioteca Jornalista Roberto Marinho do CEU Butantã.
Endereço: Av. Heitor Antônio Eiras Garcia, 1870 – Jardim Esmeralda.
Data: 12/06/18. Horário: 19h. Entrada franca.  www.escritaseprojetosdecarlospinheiro.blogspot.com.
Direção: Carlos Pinheiro.                                                       

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Texto resgatado e o próximo Sarau Arena Russa no CEU Butantã

Olá Amigo(a)!


Em tempos de Copa do Mundo e do Sarau Arena Russa estou resgatando este texto de 2012 para vossa apreciação.

Aliás, dia 12 de junho de 2018 acontecerá mais uma edição no II Sarau Arena Russa na Biblioteca Jornalista Roberto Marinho, às 19h.


Gratidão!

Carlos Pinheiro





"Vai Corinthians!


Neste ano renasci. Isso aconteceu depois que extrai um tumor da parede do meu estômago no final de julho. Agora entendo o que significa ser agraciado.

Mas aqui comentarei como outra superação fortaleceu a minha. Ela veio junto com os títulos conquistados pelo Todo Poderoso Timão. De repente, eu vi na realidade o exemplo mais acabado de livro de auto-ajuda dos últimos tempos. Ou seja, a ascensão da equipe nos últimos cinco anos foi semelhante à de muitos protagonistas dessa literatura. E o rebaixamento de 2007 no Brasileirão foi o seu Inferno. Mas o Guerreiro alvinegro, mesmo abatido e humilhado, decidiu renascer das cinzas. Tal qual o pássaro Fênix mitológico. 

No capítulo seguinte começa a parte prática e espiritual do novo aprendizado. Aí me lembrei de que houve a reformulação da diretoria, do plantel, etc. Além disso, a torcida fez a sua parte quando saíram às ruas com camisas com o lema estampado de que o nosso time nunca seria abandonado. Além do uso de mantras direcionado ao Universo, tal qual o “Vai Corinthians!!!”. 

Mas a reinvenção, palavra chave de todos os livros de auto-ajuda, não é um estado de espírito que se conquiste de forma tão linear. Sempre aparecem obstáculos, tal qual descreveu Drummond: “no meio do caminho havia uma pedra”. Porém o poeta não disse que ele poderia vir na forma de um Tolima.

Sem dúvida que ao acompanhar aqueles jogos da Copa Libertadores também me vi em campo contra aquela doença. 

Nos capítulos finais do enredo, as adversidades já se curvaram diante do Guerreiro. E que aconteça o que acontecer ele é o protegido pela Fortuna e será alçado ao trono do Rei.

Quando o juiz apitou aquela partida na Argentina me senti inundado de uma disposição para fazer aquele procedimento cirúrgico. E se o meu time pode sair vitorioso, por que não eu?

Já em terras nipônicas enfrentamos um time cujo país, assim como o Timão, é protegido por São Jorge. E pelo que vimos, Jorge premiou o trabalho virtuoso e assertivo do seu afilhado tropical.

Em 2013, quero mais do que nunca perseverar nesta minha reinvenção. O meu agradecimento a todos e desejo que continuemos com Deus em nossa próxima partida.

 Dezembro de 2012."